domingo, 4 de dezembro de 2011

Você já viu o novo clipe da Taylor Swift e da Lady Gaga?


  No dia 2 de Dezembro a sumida-fofa de Taylor Swift apareceu com um clipe novo para nós todas grita. O nome da música é Ours, que é uma faixa bônus do álbum Speak Now.

  O tema do clipe é bem clichê, mas tem tudo a ver com ela. A história é baseada na vida de uma garota - da qual ela mesma interpreta- que trabalha em uma sala em frente ao computador e não está satisfeita com o seu trabalho. A única coisa que move ela são as lembranças do seu amado no computador, que no momento está distante porque foi servir ao exército.




  Apesar de ter uma resistência com clipes com tema clichê eu realmente gostei. Acho que não caberia um clipe super inovador ou com um ar menos romântico. Afinal, a maioria das músicas da Taylor são desse estilo. Independente de ser clichê ou não ela consegue transmitir de maneira bem amarrada o enredo da história, um dos motivos para gostar do clipe. Outro coisa que gostei foi o look e a cor do vídeo. Percebeu que tem um tom meio azulado, meio vintage? E maquiagem? Você percebeu que ela está bem clean? Pois é, adorei esses detalhes. Por mais que sejam pequenos fazem grande diferença e reforçam mais a imagem de uma garota infeliz e por isso, desleixada com a aparência. Além disso o tom vintage do video dá uma sensação que essa história é antiga.




  Saimos do ambiente fofo e romântico da Taylor Swift para pular para Lady Gaga, que tem uma temática e um ritmo totalmente diferente. Ainda no dia 2 a Mother Monster lança o tão esperado clipe Marry The Night, que é o quinto single do álbum Born This Way.

  O clipe, que na verdade é quase uma biografia, tem cerca de 14 minutos (isso mesmo, 14 minutos) de um relato do pior dia da sua vida, quando foi rejeitada pela gravadora Island Def Jam. "Foi um dos piores dias da minha vida e aconteceu muito rapidamente, mas na minha cabeça, quando eu penso naquele período, aconteceu muito lentamente. É meu jeito pessoal de ver as coisas", segundo a cantora que deu entrevista à E!
  No clipe ela retrata a luta que ela teve pra alcançar a fama, as suas decepções com os pais, os amigos que não acreditavam nela, e a humilhação da qual ela passou por causa da rejeição pelas gravadoras. Tudo isso enquanto era Stefani Germanotta, antes da futura Lady Gaga famosa e poderosa que estava por ser reconhecida.



  Confesso que fiquei um pouco irritada com os quase 14 minutos de clipe, mas compreendo que o caráter do clipe pede um pouco de fala da própria cantora, se não as coisa ficariam sem nexo. Apesar disso eu gostei, mas Marry The Night não está na lista dos clipes que eu mais gostei, acho que ela já fez clipes melhores.
  A parte que eu mais gostei foi a partir do momento que ela pinta o cabelo de azul, que simbolicamente foi o momento que ela começa a se tornar Lady Gaga. Adorei o figurino, adorei as partes em ela dança, adorei vê-la com a maquiagem toda borrada, uma roupa bem sexy entre os carros e o fogo de noite. Estava sentindo falta disso, dessa loucura típica dela, que ela transmitiu super bem nesse clipe. Apesar dos apesares, adorei e acredito que esse clipe e a sua história pode ser uma inspiração para muita gente.

  E ai gente, o que vocês acharam dos clipes? Gostaram? Deixem seus pitacos para mim!

Beijocas da Dani, adooro vocês

Um comentário:

. pamela moreno santiago disse...

Boa tarde.
Desculpe a intromissão, mas venho hoje divulgar meu projeto paralelo de resenhas literárias, sob o título de O Leitor.
Se puder participar, agradecemos desde já.
Obrigada pela atenção.
Pamela