domingo, 6 de março de 2011

Refletindo moda

  Moda, tendências e mais moda. É um bombordeio de informações que vão e vem, sejam aqui no Brasil ou no exterior, que os enventos de moda lançam as suas tendências para cada estação. É uma loucura que quem quer fazer moda tem que se virar para ficar por dentro das novas. Ajustar o seu guarda-roupa de acordo com as tendências que ocorrem exige muita informação e dim dim, é claro. Ficar na moda nunca foi tão fácil quanto agora, por causa dos vários blogs, sites que te ajudam a ficar informada (o). Mas constituir um estilo, único e baseado na sua personalidade ficou cada vez mais difícil.
  Hoje eu vim postar aqui de uma maneira diferente sobre a que eu sempre posto aqui no blog. Acho que um pouco de reflexão crítica sobre a moda que nós usamos hoje em dia é um ótimo exercício a se fazer de vez em quando. Para não nos rendermos ao marketing, o consumismo exagerado e ao gasto que leva as pessoas a falência, apenas para ter aquela roupa.



  Eu faço uma pergunta a vocês: qual é a sua definição de uma pessoa estilosa? É uma pessoa que usa tudo o que está na moda? É uma pessoa que tem um estilo incomum das outras pessoas? É uma pessoa despojada? Para uma pergunta podem surgir vááárias respostas. Para mim uma pessoa estilosa é: aquela que usa a moda apenas como um catálogo, em que ela escolhe o que ela gosta e o que não gosta, de acordo com o que ela quer transmitir da sua personalidade pelas roupas. Mas o que acontece quando as pessoas preferem ficar na moda ao invés de ser estilosa? Bom, no mínimo as pessoas vão deixar de transparecer a sua personalidade pelas roupas, coisa que eu acho uma pena. Porque mais interessante do que saber sobre todas as tendências nacionais e internacionais é ter um estilo único, próprio.
  O que eu mais vejo são pessoas sempre com a mesma cara e a mesma maneira de se vestir. Camisa xadrez, leggin, sapatilhas, saia de cintura alta florida, saltos enormes coloridos, cintos na cintura e bolsas enormes. Nos cabelos tanto as morenas quanto as loiras com cabelos lisos, compridos com californiana, estilo ombré hair e principalmente com franja de lado. Quantas vezes você já esbarrou em garotas com estes aspectos na escola, rua, parques e shoppings? Acredito que várias vezes.

[fotos]
  Na verdade o que eu quero com esse post é fazer vocês assumirem uma posição crítica sobre as tendências, e não apenas adotar o que a moda deixa nos cabides. Sei que por trás de uma tendência há uma pesquisa bem aprofundada sobre as necessidades das pessoas. Porém a pesquisa é na sua maioria quantitativa, podendo dar margem a "erros". Afinal, não é todo mundo que tem os mesmo gostos, necessidades, nas mesmas épocas certo?
A questão é: aceitar tudo é tão ruim como negar tudo que a moda propõe. Se vestir como a maioria das pessoas é muito fácil, porém ser diferente é mais perigoso, mais emocionante e também é muito mais espontâneo. É na rebeldia das roupas rasgadas, no engomadinho que nos faz ficar com cara de certinhos, nos lacinhos que nos faz ficar mais menininha, girlie que nos define. Quanto mais estranho parecer para os outros o jeito que você se veste, mais sentido a sua vestimenta faz sentido para você. As pessoas percebem o quanto diferente você é de todos e algumas vezes chega a dar medo por causa dos olhares que muitas vezes nos julgam. Para mim isso essa experiência é a mais importante de todas. A moda vai e vem, porém é o estilo que fica porque ele te define. As marcas não demonstram o quanto você é melhor do que os outros, usar roupas que estão na moda não te faz ser pior ou melhor que os outros, mudar seu guarda-roupa de acordo com cada estação não vai te deixar mais bem vestida, comprar roupas de marca em brechós não é coisa de gente pobre, e sim inteligente. Quem se ama de verdade mostra isso pelas roupas e não se esconde atrás de tendências.

3 comentários:

Joselito disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luisa Annunciato disse...

Dani, muito legal esse seu post! Concordo com tudo o que você disse, aliás, eu tenho até uma experiência pra te contar: no dia que eu fui vestida de Cyndi Lauper na escola, eu saí de lá com meia colorida, rabo de cavalo de lado e uma roupa toda esquisita só pra ver o que as pessoas fariam. As pessoas me olhavam como se eu fosse louca, muito diferente de todo mundo só por causa das roupas. Eu nunca me diverti tanto! Foi uma ótima experiência (: Tá ótimo o post gata! beijão

Dani disse...

Pois é Luisa, infelizmente as pessoas olham torto para as pessoas que têm a atitude de sair por aí do jeito que gostam .. Mas ainda bem que você nem ligou para isso, ao contrário, se divertiu muito! Seria ótimo ter mais pessoas que pensassem como você (:
Fico feliz que tenha gostado :3
beijinhos pra você!